Muitos sites e meios de notícia divulgam formas eficientes de identificar as pessoas tóxicas, dividindo os assuntos em tópicos que não acabam mais. Porém, eu trago o jeito definitivo de identificar pessoas tóxicas e com apenas um tópico. Então prepare-se....

Só existe um tipo pessoa tóxica, que são aquelas pessoas que julgam outras pessoas de tóxicas, e ficam lendo autores mal informados, para procurarem um viés de confirmação para suas dissonâncias cognitivas e questões existenciais particulares. Agora, pare um segundo para assimilar.

Magoou? Que bom.... Agora que a carapuça serviu, vamos explicar isso direitinho:

Não é que você seja uma pessoa tóxica, na verdade isso é só uma provocação. O problema é que não existem pessoas tóxicas, ou se existem, eu não achei uma fonte confiável falando sobre elas. Pois nos manuais de psicopatologia não consta; também não tem nenhuma menção no CID-10, DSM-IV, no site da BIREME também não achei nada, ou seja, em nenhuma fonte séria consta essas tais pessoas tóxicas. Para não deixar mentir, na SciELO tem um único artigo onde elas são mencionadas, mas apenas em uma única linha.

Então, por que você sente que fulaninho é tóxico? Numa linguagem bem popularesca, é que seu santo não bateu com o dele e só. Em outras palavras, você não vai com a cara dele. Afinal, você não é obrigado a gostar de todo mundo, e nem todo mundo irá gostar de você.  Só que o mundo não é tão maniqueísta quanto as histórias narram; a verdade é que você já foi vilão da vida de alguém, você já fez mal alguém, mesmo que de forma não intencional, mas sim, já fomos tóxicos e provavelmente nem nos demos conta, então para que atribuir a vilania ao outro?

Bem, primeiro porque só temos a perspectiva que nós somos os protagonistas: ledo engano grão de areia. E não esqueçam do raio da "dissonância cognitiva", que resumindo bem, é a sensação de desconforto que sentimos ao nos depararmos com uma crença contraditória a nossa, E PIMBA, nós só precisamos disso para começar a rotular o fulaninho como tóxico. Só para registro, esse conceito foi desenvolvido primeiramente pelo psicólogo Leon Festinger.

Agora vou explicar o tal do "viés de confirmação", para você entender por que algumas pessoas perdem tempo tentando classificar seus opositores como tóxicos. Essa teoria afirma que tendemos a interpretar informações que confirmem nossas crenças ou simplesmente pesquisamos de fontes que nos coloquem como assertivos no que já acreditamos. Ou seja, quem acredita que existam pessoas tóxicas, busca por fontes que irão confirmar essa questão, portanto há grande chance de nem acreditarem em nada que eu escrevi até agora nesse texto, mas eu fiz minha parte, agora é questão de meditarem sobre o assunto...

Então, como podemos evitar pessoas tóxicas, mesmo que elas não existam, ou seja, será que podemos evitar pessoas que entram em "dissonância cognitiva" com as nossas crenças? Será que podemos evitar pessoas que passam longe de nosso "viés de confirmação" e batem de frente com o que é mais sagrado com o nosso estilo de vida?  A resposta para isso na minha nada humilde opinião está na Oração da Gestalt, que não tem nada de religioso; na verdade, é um pequeno poema feito pelo Fritz Perls, que sintetiza a abordagem psicológica que ele desenvolveu e que é a minha principal ferramenta de trabalho, a Gestalt-terapia. Sendo assim, vamos lá: quando estiver frente a uma pessoa tóxica, ou quando estiver sendo julgado como uma pessoa tóxica, pense nestes versinhos e fique em paz:

“Eu sou eu, você é você.

Eu faço as minhas coisas e você faz as suas coisas.

Eu sou eu, você é você.

Não estou neste mundo para viver de acordo com as suas expectativas.

E nem você o está para viver de acordo com as minhas.

Eu sou eu, você é você.

Se por acaso nos encontrarmos, é lindo.

Se não, não há o que fazer. ”

Concluindo: às vezes temos atitudes que são tóxicas, mas isso não nos transformamem  pessoas tóxicas 24h por dia; somos apenas humanos tropeçando, tentando encontrar a boa forma: às vezes entregamos pedras, às vezes entregamos flores.

CID-10 - Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde

DSM-IV - Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders

BIREME - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Obs1: caso queira ver o único artigo que eu achei mencionando esse termo, segue o link:  http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-45082019000400951

Obs2: e que venham as pedras.