“Você tem dor nas costas?? Atualmente, a resposta me parece óbvia, “Sim!! Eu tenho” (pois estudos mostram que mais de 80% da população mundial tem ou já teve algum episódio de dor nas costas, ou ainda terá). Estatística alarmante!! Logo, a melhor pergunta seria “Quem não tem dor nas costas?” Você imagina qual a causa?


A origem da dor nas costas


Se você não faz ideia não se preocupe, porque parte da literatura e dos cientistas de plantão apontam que mais de 95% das dores cervicais e lombares são de origem inespecífica, ou seja, nem eles sabem a causa. O que sabemos é que a maioria das crises de dor nas costas se resolvem em mais ou menos oito semanas. Isso mesmo!!

Existe uma coisa chamada evolução natural da doença, e as dores de origem inespecífica (falaremos em outro post sobre as específicas) segue esta evolução. O que os estudiosos nos dizem é que sua possível causa é multifatorial: fatores cognitivos, físicos, biomecânicos, emocionais, sistêmicos, experiências prévias, culturais, sociais; todos estes contribuem para como a experiência de dor será sentida. Os cientistas também apontam que o tipo de informação transmitida pelo profissional para o paciente pode agravar o quadro. E o que os gurus científicos recomendam então??!


O que se recomenda para dor nas costas


Mantenha-se ativo, compreenda que você faz parte da estatística mundial, não se assuste com rótulos como: discopatia degenerativa, hérnias e protusões, má postura, é culpa do trabalho, não se agache assim, etc., pois parte da literatura nos diz que estes termos assustam e isto pode contribuir para a persistência da dor (fatores cognitivos).

Procure profissionais que acreditem nas terapias ativas como o exercício (exercício = polipyll) e utilize as terapias passivas (abordagens manuais como osteopatia) para diminuir a tensão muscular e promover melhora da mobilidade local e global. Entenda que a dor é apenas mais dos inúmeros sentimentos que vivenciamos nesta grande experiência que é a vida. E como certa vez disse sabiamente o poeta Carlos Drummond de Andrade “a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional”.