1. Analisar como o dinheiro afeta o relacionamento


Nos relacionamos com o dinheiro e isso ocorre basicamente de 4 maneiras: liberdade, segurança, poder e relacionamento. Uma dessas formas prevalece e determina como o usamos. Consequentemente, também os relacionamentos são afetados pelo perfil individual e a forma como o casal vai conviver com as diferenças psicofinanceiras. Se o casal conhecer seu perfil e os riscos que correm, poderão combinar regras para neutralizar as diferenças e conviver de modo equilibrado.

2. Falar sobre dinheiro não “esfria” a relação, pelo contrário

Não criamos o hábito de falar, revelar erros, comemorar acertos e, principalmente, aprendermos sobre conceitos básicos de economia.  Falar sobre finanças é uma forma de fortalecer a relação amorosa, uma vez que proporciona o respeito mútuo, eleva a cumplicidade, o estabelecimento dos limites e evita problemas financeiros que podem levar à separação.

3. Por onde começar?

O casal pode começar a falar sobre os sonhos que envolvem dinheiro; primeiro, o sonho individual; depois, um em comum, que será o sonho do casal. A seguir, podem começar a planejar: como, quando e quanto precisam para realizar o sonho. O terceiro passo é desenvolver o conhecimento e o autoconhecimento, ou seja, estudar e se conhecer: quando o assunto é grana, ainda é o melhor investimento. Quarto passo é estabelecer um dia fixo (1 vez por mês, ao menos), para falar sobre a vida financeira. Criar uma rotina e seguir um passo a passo, a fim de organizar as finanças:

  • anotar todos os gastos,
  • passar para planilha de controle mensal,
  • avaliar mensalmente as despesas em cada item e cortar exageros
  • planejar férias, compras e presentes,
  • investir 10% dos ganhos (salário, rendimentos) para longo prazo (aposentadoria do casal).

4. Abrir o jogo


É fundamental que o casal abra o jogo, ou melhor, abra “as contas”. O pior erro é “deixar para depois”. Devem saber como cada um gerencia o dinheiro. Muitos descobrem só mais tarde que casaram com pessoas endividadas. Dinheiro é uma pauta importante. Portanto, as pessoas precisam planejar como vão organizar a vida financeira: quem paga o quê? Quanto cada um dispõe para o casal? Vão juntar as contas ou não?