Na verdade eu espero que esse não seja meu último poema, mas, se for, está tudo bem: pelo menos eu deixei registrado. Pois um dia desses estamos escrevendo e, no outro, sabe lá o que pode acontecer, sabe lá se estarei vivo, sabe lá Deus se, quando você ler (por ironia do destino), eu não mais esteja aqui, e vai parecer uma grande piada e espero que, se isso acontecer, você ache graça, porque não queria lhe causar mal-estar com essa possibilidade, mas apenas fazê-lo pensar um pouco da sua última vez.

Pensei em escrever esse poema vendo meu filho descendo no tobogã, e comecei a me lembrar de como eu amava brincar disso, descer e sentir a ondulação e a gravidade brincar com meu corpo, mas chegou um dia que foi a última vez que fiz e o pior é que eu nem sei que dia foi esse, nem em que ano, e eu nem sei porque não entrei de novo na fila: a idade chega e nem nos damos conta destes detalhes. Tantas coisas importantes para nós padecem, sem que tenhamos o registro final.

Qual foi a última vez que brinquei de bandeirinha ou joguei RPG, para nunca mais? Entende esse espaço abstrato de tempo? NUNCA MAIS! Provavelmente você tem alguma experiência em sua memória, ou eu a ativei agora e vai faltar o registro final, e vai faltar o motivo que fez você não retornar a realizar só mais umazinha, pois em nossas cabeças arrogantes, sempre achamos que vamos ter mais uma chance; mas isso é balela, não tem como saber; talvez esse seja o último texto que você vai ler, vai saber, não é? E, se for, espero que tenha sido proveitoso.

Então, aproveite a bosta do agora, e não me pessa pra pegar leve, isso é sério, e o epicurismo ainda faz sentido.

Se você magoou seu companheiro, é melhor se desculpar, pois pode ser a última vez que terá essa chance; hoje pode ser a última vez que você possa dizer “eu te amo” para os seus pais, pode ser a última vez que você  possa beijar a testa do seu filho, pode ser a última vez que você possa transar com quem você ama. Não seja burro, desperdiçando essas oportunidades que a vida está lhe dando hoje, porque pode ser a última vez que você terá direito de descer no tobogã.

Rio de Janeiro, 08 de novembro de 2019.