A síndrome do pânico (F41.0.) é um tipo de transtorno psicológico em que ocorrem crises repentinas e inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja um motivo real para pensar nisso.

Quem sofre do Transtorno de Pânico, sofre crises de medo agudo de modo recorrente e inesperado. Além disso, as crises são seguidas de preocupação persistente com a possibilidade de se ter novos ataques e com as consequências desses ataques, dificultando a rotina do dia a dia, pois ele tem medo de que as crises voltem, o que o leva a evitar situações de perigo. 

O ataque de pânico ocorre de forma abrupta e inesperada: começa com um breve período de medo ou mal-estar intenso e atinge o seu pico em poucos minutos. A duração de um ataque de pânico varia entre 15 e 30 minutos.

Muitas vezes, as primeiras crises são provocadas por altos níveis de estresse, transições bruscas na vida ou pela exposição a ambientes hostis. Pessoas com uma sobrecarga de responsabilidades e pessoas que sofrem de estresse pós-traumático, estão mais propensas a  sofrer de crises de pânico.

Os principais sintomas que envolvem uma crise de pânico

  1. Aumento do batimento cardíaco ou palpitações
  2. Visão estranha e desfocada
  3. Calafrios ou sensações de calor
  4. Sensação de falta de ar ou aumento da frequência respiratória (hiperventilação);
  5. Ressecamento da boca
  6. Sensação de fraqueza ou desmaio
  7. Tremores ou estremecimentos
  8. Sensação de formigamento ou dormência pelo corpo (Parestesia )
  9. Sudorese excessiva
  10. Sensação de terror ou perigo eminente
  11. Agitação e/ou pensamento acelerado;
  12. Sensação de calor e suor frio
  13. Náuseas ou desconforto abdominal
  14. Tontura leve ou fraca e sensação de desmaio
  15. Medo de perder o controle ou “enlouquecer”
  16. Dor no peito, com sensação de "aperto"
  17. Medo de morte iminente

Como diagnosticar e tratar

Os profissionais mais capacitados para diagnosticar a síndrome do pânico são os psicólogos e psiquiatras, os quais podem  realizar uma avaliação dos sintomas apresentados.

O tratamento da síndrome do pânico é feito através da combinação de psicoterapia e medicamentos. A psicoterapia pode potencializar a efetividade dos medicamentos, além de reduzir as recaídas de pacientes que não seguem o tratamento medicamentoso corretamente.

Se você acha que este texto trouxe informações úteis ou lhe ajudou, deixe um comentário e compartilhe com os seus amigos.